A favor ou contra Castilho? Rede de apoiadores no império brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48751/CAM-CFW4-ZF71

Palavras-chave:

Método Castilho, Leitura e escrita, Brasil, Império, Apoiadores de Castilho

Resumo

O poeta português António Feliciano de Castilho (1800-1875) criou o Método Castilho para o ensino de leitura e veio para o Brasil em 1855, para realizar sua divulgação. Objetivando contribuir com o ensino da leitura e da escrita, propôs diferentes reformas na instrução primária e secundária em Portugal e no Brasil, incorporadas ao projeto da Modernidade, em que a escola calcada no tradicionalismo foi projetada como um palco de experimentações em um projeto de redenção pedagógica e social. Apesar de ter recebido várias resistências e o cancelamento de seu curso na corte brasileira, compareceram nas fontes históricas sujeitos brasileiros e portugueses que viviam na corte brasileira e que foram considerados “amigos” pelo poeta. O maior desafio metodológico deste artigo consistiu em rastrear esta rede de apoiadores deste projeto de instrução no império brasileiro. Esta análise será fundamentada em autores como Albuquerque (2019), Boto (2012) e obras memorialistas de Castilho (1902).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

21-07-2022

Como Citar

Albuquerque, S. L. de. (2022). A favor ou contra Castilho? Rede de apoiadores no império brasileiro. Cadernos Do Arquivo Municipal, (18), 1–12. https://doi.org/10.48751/CAM-CFW4-ZF71